Caixinha de tempo.

  • 4
  •  
  •  
  •  

Oie, pessoal,

Quem leu os erros de uma facilitadora, saberá que levou um tempinho para eu aprender sobre timebox. E depois disso, eu já falei para vocês que sou a louca do timebox agora? Isso só ocorreu depois que o aprendi a usá-lo de uma maneira mais objetiva no meu dia-a-dia.

Hoje vou falar um pouco sobre essa caixinha do tempo está em tudo que é lugar e pode lhe ajudar muito. Quando era programadora sim, já mexi em código em uma era atrás, tinha dificuldade em me concentrar e me dispersava demais. Com o tempo conheci uma técnica chamada Pomodoro,  representada pelo tomate e é bem simples.

https://appendto.com/2016/10/comparing-javascript-jquery-build-a-pomodoro-timer/

Pomodoro Timer. Fonte: Internet.

Como utilizar essa técnica?

numero-1

Selecione uma atividade;

numero-2

Dedique 25 minutos para se concentrar 100% na atividade para realizá-la;

numero-3

Após esse tempo, utilize 5 minutos, para descansar da melhor forma possível;

numero-4

Volte ao passo 2 até terminar a atividade.

numero-5

Quando terminar , volte para o passo 1.

A técnica recomenda que a cada seis iterações dos passos acima, dar uma pausa maior. Seu cérebro agradece. Apesar de ser simples, leva um tempo para aprender. A maior dificuldade que tive ao aplicar essa prática, por incrível que pareça, foi me concentrar durante esses malditos 25 minutos. Parece que o mundo quer falar contigo ou que todas as distrações aparecem exatamente nesses 25 minutos que você se comprometeu consigo mesma. Exemplo, meu marido acabou de ligar a televisão e estou sem fone, exatamente nos últimos seis minutos do timebox. Contudo, a prática te ensina mais algumas coisinhas, como evitar usar celular e redes sociais nesse tempo (SIM, há ferramentas que te ajudam). Outra dica que tenho é começar a dizer não, mas com educação, tá? Quando alguém vier te interromper, diga a ela/e que há X minutos você vai falar com ela, onde X é o tempo restante que você tem do seu timebox. Segue um vídeo bem divertido sobre o assunto:

Alexandre Amorim, um praticamente veemente do Pomodoro,  também sugere algumas dicas. Experimente-as sem moderação:

  • A principal dica é persista. Abandonar é tentador.
  • Monte seu plano no começo do dia e reflita sobre o que deu certo ou não no final. Para o seu momento de reflexão pessoal, avaliar o que pode fazer melhor amanhã;
  • Considere registrar as interferências durante o Pomodoro, quantificá-las ajudam você engajar em manter o foco.

Além do Pomodoro, o tempo me levou para as sprints do Scrum. Segundo o Scrum Guide:

O coração do Scrum é a Sprint, um time-boxed de um mês ou menos, durante o qual um “Pronto”, versão incremental potencialmente utilizável do produto, é criado. Sprints tem durações coerentes em todo o esforço de desenvolvimento. Uma nova Sprint inicia imediatamente após a conclusão da Sprint anterior.

Aprender o que é a “duração coerente” não foi fácil. Na verdade, essa caixinha me ajudou muito a pensar além da atividade a ser finalizada e aprendi que precisamos entender o que é “potencialmente utilizável”, porque fazer tudo não dá né? Com isso, devemos  compreender o que é relevante para o cliente/usuário final, de forma a resolver parte do problema que ele tem. Eu, particularmente, vejo que a sprint auxilia o processo de aprendizado para pensarmos em como podemos entregar algo dentro de um tempo menor, focar somente no mais importante. Aí vale um post pendente só sobre FDP – fatiar, descartar e priorizar -, né?

Enquanto o post não sai, recomendo ler o Capítulo sobre Simplicidade: A arte de maximizar o trabalho que não precisa ser feito do livro Scrum - Gestão ágil para projetos de sucesso, do Sabbagh.

Após algumas sprints, compreendi que ao usar o Kanban, ele não te cobra um timebox fixo, muito pelo contrário, ele lhe ensina a aprender mais sobre o seu fluxo para poder, de forma evolutiva, encontrar o seu verdadeiro timebox. Que bonito isso ou é loucura, mesmo? Me senti o Coelho Branco do Livro Alice No País Das Maravilhas.

Enfim, essa caixinha de tempo é sua amiga ou inimiga? Acredito que só depende de como você a vem utilizando.

Abraços.

Leave a Comment