Vamos falar sobre Lead Time?

  • 12
  •  
  •  
  •  

E aí, galera!

Quando falamos de times ágeis, levamos em consideração uma série de informações. Uma das mais importantes são as métricas do seu time. Você já ouviu falar sobre o lead time (LT)? No post de hoje, você vai saber o que é e como esse dado pode ajudar o seu time.

Dentre todas as métricas de eficiência, considero essa uma das mais importantes. Por meio dela, conseguimos informações essenciais sobre o fluxo de trabalho do seu time. De acordo com Raphael Albino, autor do livro Métricas Ágeis – Obtenha melhores resultados em sua equipe, LT nada mais é do que:

O número de dias entre o início e o fim do processo de entrega de um item de trabalho (por exemplo, histórias do usuário, bugs, etc).

Ou seja, é a quantidade de dias em que o seu time se compromete com o desenvolvimento do item até a sua entrega. Simples não?

Ter esse tipo de informação é crucial para saber como anda a evolução do seu time. Um dos maiores benefícios dela é a previsibilidade baseado no seu histórico de entregas.

Além da previsibilidade, outros benefícios que nós temos são:

  • Você consegue medir utilizando qualquer método ou framework.
  • Identificar onde estão as disfunções no seu sistema de trabalho.
  • Mitigar algumas variabilidades, possibilitando mantermos nosso sistema mais saudável e estável.
  • Maior assertividade em nosso planejamento com os dados que obtemos do nosso histórico.
Como se calcula?

Muito legal, Diogo!!! Como eu calculo isso? Como falei anteriormente, você simplesmente contabiliza a quantidade de dias que seu time começou a trabalhar em determinada demanda até a sua entrega. Ou seja, é a soma do Touch Time (momento de ação) mais o Waiting Time  (filas de espera), considerando que você vai ter uma coluna de espera antecedendo cada coluna de ação. Então, vamos imaginar que seu time teve cinco demandas de bugs no decorrer da semana.

  • Na primeira demanda, eles levaram três dias para resolver.
  • Já na segunda demanda, eles levaram quatro dias para resolver.
  • Na terceira demanda, eles levaram dois dias para resolver.
  • Na quarta demanda, eles levaram oito dias para resolver.
  • Na quinta demanda, levaram três dias para resolver.

Sendo assim, podemos dizer que em vinte dias foram resolvidos cinco bugs. A seguir, temos alguns caminhos:

  • Podemos tirar a média e chegarmos no número mágico é de quatro dias.
  • Podemos utilizar a mediana e chegarmos no número mágico de três dias.

Legal, né? Porém, temos dois números diferentes. Qual devemos utilizar? Média ou Mediana? Eu, particularmente, não gosto de utilizar a média, porque ela considera os outliers, ou como gosto de chamar, os pontos fora da curva. No exemplo acima, perceba que temos apenas uma demanda que levou oito dias, destoando das demais. Logo, ao utilizar esse número, temos o risco de um falso positivo ou negativo, pois ele vai jogar sua média para cima ou para baixo. 

Já a mediana considera o intervalo entre os cincos números. Temos aqui: 2, 3, 3, 4, 8. Considerando essa sequência, qual é o valor da mediana? Isso, mesmo três! Observe que ela ignora os extremos, trazendo-nos mais segurança.

Vale lembrar que podemos utilizar, além da média e mediana, outras medidas: Moda, Percentis, entre outros. Mas, isso é assunto para outro post! :)

Aproveito para destacar algumas percepções que você terá ao saber seu LT: A primeira é que você irá identificar, no seu fluxo de trabalho, que boa parte de suas demandas ficam mais tempo em espera do que em ação. A segunda é que quanto mais dados que você tiver, melhor vai ser a sua previsão, diminuindo com os “achismos” relacionados a prazo. Por último, perceberá diversas oportunidades de melhorias com muito mais freqüência

O LT ajuda a mostrar se estamos olhando para o lugar certo ou não. As vezes acreditamos que o problema é um lugar específico e, depois do LT, acaba sendo em outro.

Portanto, como vocês puderam perceber, utilizar o LT só traz benefícios para o seu time devido a sua simplicidade.  Penso que ele é um bom primeiro passo para você ver aonde deve começar a melhoria no seu fluxo, pois trará dados importantes para você mensurar se as suas hipóteses estão sendo realmente efetivas. Devemos olhar as métricas como algo para tangibilizar suas percepções e ações. É como dizem, contra fatos não há argumentos! 🙂

Espero que tenham gostado.

Grande Abraço!

Procure combinar o Lead Time com outras métricas, pois isso o ajudará a entender melhor o contexto em que você está inserido e como ser mais incisivo nas suas hipóteses! 

Lembre-se: O LT deve refletir a sua realidade. Procure utilizar retrospectivas para melhorar o seu fluxo e meça-o para ver se está sendo efetivo ou não.
Quer saber mais sobre métricas? Recomendo o livro Métricas Ágeis - Obtenha melhores resultados em sua equipe do Raphael Albino.
A K21 escreveu recentemente um post bem interessante sobre o assunto, vale a pena dar uma lida! ;)

Leave a Comment