Meu time não quer métricas

  • 9
  •  
  •  
  •  

Oie, pessoal,

Já escutei algumas vezes essa frase:

Meu time não quer métricas, eles dizem que isso é coisa para gestor ver e não ter nada a ver comigo.

Acredito que esse tipo de argumento é válido. Uma vez que o time não ver necessidade do uso de métricas, é lógico que ele não vai querer usá-las. Independente do tipo de métrica ágil ou não que você gostaria que o seu time começasse trabalhar para poder tomar melhores decisões futuras, vamos fazer algumas perguntas. Particularmente, esses questionamentos me ajudam a começar um bate papo sobre métricas independente do contexto do time, assim podemos compreender alguns fatores relacionados ao uso das métricas e como sua equipe pode aplicá-las para a sua realidade.

Quais perguntas queremos que sejam respondidas com as métricas?

A primeira pergunta auxilia em confirmar quais são os motivos reais que levaram o time a utilizar as métricas? Foi algo mecânico? Top-Down? É uma experimentação que alguém está conduzindo e não está claro o objetivo? Por mais claro que esteja a resposta, aproveite o momento para alinhar as oportunidades que podem vir com o uso desses números, como: levantar riscos ou problemas baseados em fatos (e não somente em percepções), avaliar o equilibro do trabalho do time, relacionar com a ajuda em tomadas de decisões mais críticas ou pontuais, dentre outros. Acaba sendo um momento de reflexão da necessidade do uso das métricas.

Qual é a métrica que irá ajudar o time a identificar as causas raízes dos problemas recorrentes?

Explore com o time os indicadores que possam a ajudá-los a terem respostas. Vale a pena fazer mais perguntas que conduzam o time a obter respostas menos abrangentes, trazer material de review ou retrospectivas que enfatizem os problemas corriqueiros que estão sempre ali no time. Assim o time pode trazer ideias e, de forma colaborativa, perceberam que métricas serão um caminho para diminuir algumas dores que o time sente. Pode ser um passo importante para o time.

Use os 5 por quês para conduzir o bate-papo.
Posso confiar nos dados que irão gerar essas métricas? Todos compreendem como as métricas são calculadas?

Parece algo irrelevante, porém confiar nos dados que é a base de um bom relacionamento com as métricas.  Lembram do 3A’s que já comentamos aqui? Pois bem, apresentar como será calculado as métricas, quem são os responsáveis por atualizarem os dados que se transforma em números auxilia na transparência e boa comunicação. Por exemplo, caso você tente calcular o throughtput de um time que não está realizando a atualização do quadro, algumas disfunções serão expostas e o time precisar entender que devem se comprometer para resolver os itens da pergunta anterior.

Enquanto escrevia esse post, me veio uma analogia com o método científico, o qual podemos dizer que iremos trabalhar a observação no nosso contexto e  elaborar perguntas que desejamos serem respondidas. Em seguida, definimos algumas hipóteses que podem ser um indicativo de resposta para as perguntas, fazemos alguns experimentos a partir dos dados disponíveis, realiza-se a análise das métricas e, por fim, extrair as conclusões que nos servirão de base para as tomadas de decisões ou resultados de planos de ações.

Etapas do método científico - Fonte: Brasil Escola.

Etapas do método científico – Fonte: Brasil Escola.

Em minha experiência, ao conduzir o bate papo a partir desse mindset, você poderá estimular a transparência, pertencimento, colaboração e comprometimento dentro do time. As métricas são meio para validar se você está indo na direção certa. Comece com métricas simples e vai evoluindo conforme a necessidade do time. Um passo de cada vez.

Abraços

Showing 4 comments
  • Paulo
    Responder

    Muito bom Janaína. O uso de métricas nos ajuda muito a avaliar nosso caminho e corrigir.

    • Jana Pereira
      Responder

      Muito obrigada pelo feedback, Paulo. Concordo plenamente com você.

  • Marcelo Pereira
    Responder

    O bom é quando o time define seus indicadores. Depois disso, observando o ritmo do time, ele mesmo estabelece suas métricas e se desafia a ultrapassa-las!

    • Jana Pereira
      Responder

      Acredito que seja um bom caminho. Há situações em que o time não tem conhecimento em como atuar como indicadores. Sugiro pedir ajuda ou começar com algo mecânico que faça sentido para o time. Abraço, Marcelo.

Leave a Comment