Health check do time!

  •  
  •  
  •  
  •  

Oie pessoal,

Ao longo da minha curta jornada ágil, descobri que agilidade está relacionado a resolver algum problema de alguém para algo. Normalmente, não há receita de bolo ou bala de prata para cada problema. Quantos posts já falamos isso, hein?  A agilidade envolve em experimentar uma solução, avaliar o resultado, aprender com o mesmo e, assim, decidir se devemos manter na mesma trajetória ou mudar os rumos. Algo bastante científico, correto? Mas nem tudo são flores, vamos aprendendo muito durante esse percusso de transformação ágil. Veja alguns exemplos disso. Para tanto, vamos brincar de eu nunca. EU NUNCA

  • … estive em um time que pegaram do quadro da sprint ou Kanban, todos os itens e atacamos de forma paralela. Na review, apresentarmos nenhuma estória concluída. Duas doses para o Diogo, por favor?! Nosso primeiro projeto juntos.
  • … vi um Product Owner (PO) que listou umas trocentas regras em uma estória, o time perceber que não conseguiria entregar todas na sprint e o PO diz que não dá para fatiar.
  • … atuei como Scrum Master já deixei o time atacar os dez pontos de ação da retrospectiva, e ver na sprint seguinte somente um foi o resolvido, exatamente aquele menos prioritário.
  • … presenciei um Gerente de Projeto cuidando e distribuindo tarefas ao invés de permitir o time se auto organizar.
  • …  estive em um time que as demandas foram começadas e despriorizadas. Ao mesmo tempo, chegando itens empurrados, e ao finalizá-los, descobrir que irão para o lixo, pois o plano mudou novamente.
  • … desenvolvi um software, vi que o código poderia ser melhor, mas na loucura para entregar (apesar de ainda ter tempo), deixei passar. E em produção, foi identificado que era exatamente aquele trecho que deixava o software mais lento.

Acredito que você tenha outros exemplos na manga que nos deixaríamos bêbados rapidinho. =D Mas como poderia saber se estou indo no caminho certo? Eis que o conceito de hansei vem a mente.

O hansei é uma auto-reflexão implacável e obrigatória que é utilizada para identificar e reconhecer os erros comentidos ou melhorias que precisam ser feitas, para então se criar um plano de ação que coloque as melhorias em prática.
Raphael Sabbagh: Scrum – Gestão Ágil para projetos de sucesso.

Para ajudar nesse momento de reflexão, hoje sugiro vocês conhecerem algum tipo de assessment voltado para agilidade. Isto é, como saber se estou sendo ágil ao invés de estar somente fazendo ágil? Esse tipo de ferramenta pode ser um bom ponta pé para levantar os gaps dentre o time ou para você mesmo, seja desenvolvedor, analista de qualidade, SM, designer ou PO.

Há uma lista de assessment, veja aqui e avalie o mais adequado para você.

Um assessment que utilizei foi do Spotify Health Check ao simples e divertido, o qual possibilita ter um panorama macro da situação do seu time. Primeiramente, apresentei a ferramenta para o time durante uma retrospectiva e depois desenhei um quadro com cinco colunas. A primeira coluna, coloquei com uma lista de itens a serem discutidos, no caso, utilizei o padrão do Spotify Health Check sugere: suporte, trabalho em equipe, peão ou jogador, missão, saúde do código fonte, processo sustentável, valor de negócio, aprendizagem, velocidade, facilidade em entregar e divertido.  Da segunda até a quarta coluna desenhei as respectivas carinhas em cada uma: 🙂 – estamos bem, :I – temos alguns problemas e 🙁 – estamos mal. Essas colunas colocava a quantidade de votos que o time dava para cada item. E por fim, a última coluna, tendência, o time dava uma perspectiva futura se o item tende a melhorar, se manter ou piorar.

Exemplo Spotify Health Check

Exemplo Spotify Health Check

Para auxiliar na discussão de cada item, o Health Check possui cartas descrevendo cada item com descrição de uma situação somos bons e outra sobre estamos mal. As cartas auxiliam bastante em direcionar a conversar, pois somente os itens deixar a conversa vaga.

Exemplo Spotify Health Check - Cartas

Exemplo Spotify Health Check – Cartas

 

Após pontuarmos todos os itens, sugeri ao time atacarmos o ponto com pior classificação para que pudéssemos tomar ações para melhorar durante a sprint. Caso, queira atacar todos os pontos, pode ser uma opção também.

O Health Check é bem flexível, como o próprio modelo diz, você pode adicionar ou remover itens de acordo com a necessidade do time. É simples, visual e ajuda muito o time ter uma percepção de evolução, pois você pode rodar essa dinâmica de tempo em tempo para ajudar o time a visualizar os resultados. Uma dificuldade que tive foi que algumas cartas podem estar relacionado ao nível organizacional ou de negócio ao mesmo tempo, e isso confundiu um pouco o time, e no momento da dinâmica tive que restringir a um contexto específico, pois haviam divergências de opiniões para cada um.  E atenção! Esse tipo de ferramenta não vem como objetivo avaliar ou comparar times, o objetivo é fazer uma auto reflexão para que possam atacar da melhor forma algum ponto de melhoria.

Valeu, pessoal!

Leave a Comment