Síndrome do Impostor: Por Que Alguns Scrum Masters Sentem Como Se Estivessem Enganando?

  •  
  •  
  •  
  •  

Geoff Watts é um dos pensadores Scrum pioneiros no mundo, e um dos poucos que detêm ambos os papéis de Certified Scrum Trainer e Certified Scrum Coach. Somado ao seu livro, Scrum Mastery: From, From Good To Great Servant-Leadership (Maestria do Scrum: De, De Bom a Ótimo Líder-Servo, em tradução livre) Geoff escreveu seu novo livro, “The Coach’s Casebook” (O Livro de Casos do Treinador, em tradução livre). Seu novo livro não é especificamente sobre o Scrum ou a agilidade, mas desde que grande parte do trabalho do Scrum Master é de fato treinar um time a ser mais performático, eu acho que vocês acharam o livro aplicável ao seu trabalho. No seguinte post, Geoff compartilha a estória sobre um sentimento que eu acho que todos podemos nos relacionar. Eu sei que eu já me senti da forma que ele descreve várias vezes. — Mike Cohn

“Um dia desses, eu serei descoberto. Eles irão perceber que eu não faço ideia do que eu estou falando e então serei demitido”.

Lembro-me de estar na minha cozinha 15 anos atrás dizendo essas palavras à minha esposa. Estávamos pensando em comprar alguma coisa para a casa e eu estava preocupado que minha posição como gerente de projetos não era segura o suficiente para realizarmos a compra. Eu estava preocupado, porque eu não era uma pessoa técnica, no entanto, eu estava gerenciando um projeto técnico cheio de pessoas técnicas.

Eu não entendia de banco de dados ou SQL ou Java; Eu nem entendia como o telefone funcionava até então, e eu estava trabalhando para uma empresa de telecomunicação. Como poderia eu gerenciar um projeto nesse contexto com tão pouco domínio ou conhecimento técnico?

Eu estava blefando o quão bem eu podia, mas achava que um dia eles iriam perceber que eu não sabia do que eu estava falando.

O que eu não percebi naquele tempo foi que eu não precisava saber aquelas coisas porque as pessoas que importavam sabiam. De fato, acredito que se eu soubesse aquelas coisas, eu então teria sido muito menos bem-sucedido no meu trabalho.

Perceba, o time de desenvolvimento sabia sobre banco de dados e Java e SQL, e o cliente sabia como o telefone funcionava. Se eu quisesse executar o projeto, digo realmente microgerenciar o projeto, eu então precisaria saber de todas aquelas coisas. Mas não era esse o meu objetivo.

Meu objetivo era possibilitar que as pessoas ao meu redor fossem capazes de fazer o que elas tinham que fazer, de aplicar seus conhecimentos, inteligência e experiência para fazer projeto e produtos funcionarem. Ser um impostor de fato ajudou a evitar que me tornasse um microgerenciador. O que eu precisava saber e aprender era como eu iria possibilitar essas pessoas. E então eu precisava aprender a estar confortável sendo um impostor.

Síndrome de impostor é um fenômeno real – sim, está disseminado o suficiente para ter o próprio nome – e você pode estar sofrendo da síndrome do impostor se você crê:

  • Você é uma fraude, que está fingindo e um dia em breve, será “descoberto”.
  • Todos sabem mais que você.
  • A fé que os outros têm nas suas habilidades é mal depositada.
  • Você não é tão bom quando eles parecem acreditar que você é.
  • Seus sucessos são grandemente ligados a sorte, estar no lugar certo na hora certa ou por mérito de outras pessoas.

Sentiu-se assim alguma vez? É completamente normal. De fato, seria anormal se você não se sentisse assim, pois é acreditado que cerca de 70% das pessoas já se sentiram. Certamente combina com minha experiência pessoal empírica.

Scrum Masters são talvez mais suscetíveis aos sentimentos da síndrome do impostor que qualquer um em time ou organização ágil. Isto é em parte em razão da falta de autoridade inerente do papel. Eles não têm poder, e constantemente se encontram duvidando de si mesmos e suas posições.

O papel deles é também pobremente definido em termos de suas responsabilidades e isso aumenta a falta de claridade e confiança que Scrum Masters podem ter.

Síndrome do impostor, como todas as características que vêm na minha prática de treinamento, não é algo ruim. Pessoas com a síndrome do impostor são geralmente bastante humildes, reflexivas e diligentes.

Elas estão constantemente tentando bastante se provar valorosas (para si mesmos e para os outros) e raramente se satisfazem com a mediocridade devido a sua ansiedade sobre serem descobertos. Como resultado, pessoas com um alto grau de síndrome do impostor são regularmente grandes conquistadores.

Não é portanto uma característica para tentar e se livrar totalmente, mas entretanto, é importante trazê-lo a um equilíbrio. Extrair os aspectos positivos enquanto tenta mitigar a ansiedade e o estresse que vêm dessa característica quando extremado.

O primeiro passo para trazer a síndrome do impostor a um equilíbrio é a normalização – aceitar que isso é comum. Então, conscientemente apreciar suas forças e trazer os outros para baixo do geralmente super inflado pedestal que você as colocou, porque em todas as aparências, eles estão fingindo tanto quanto você está!

Trazer essas características para o equilíbrio em você no seu papel de Scrum Master pode também ajudá-lo a treinar outros na síndrome de impostor deles também.

Existem algumas ótimas técnicas para lidar com essa e outras características que podem nos aprisionar em meu novo livro, “The Coach’s Casebook” disponível agora na Amazon aqui.

Este artigo foi postado originalmente em Impostor Syndrome e foi reproduzido com a permissão de Geoff Watts(@geoffcwatts) e Mike Cohn (@mikewcohn) .
Comments
  • Carlos Mar
    Responder

    Muito bom o post.

Leave a Comment