Vai um Feedback Wrap?

  •  
  •  
  •  
  •  

Feliz Ano Novo, pessoal!

Vamos começar esse ano com feedbacks! Após passar um tempo com liderança de time, senti a necessidade de ter uma noção de como estava indo o meu trabalho e expor aos meus colegas como eles estavam atuando no projeto, não como uma avaliação de desempenho (isso deixo para os gerentes), mas uma forma construtiva de comentar o trabalho do colega e expor oportunidades de melhoria, assim como obter a recíproca. Afinal, ninguém é perfeito nesse mundo e todo dia é dia para uma lição aprendida.

Ao ler ou atuar com alguma metodologia ágil percebe-se que está no cerne dessa cultura a característica de ter feedback, lições aprendidas com o objetivo simples: quanto antes identificamos e atuarmos nos pontos que estamos tendo dificuldade, mais rápido podemos resolver e minimizar desconforto durante o projeto.

O feedback deveria ser parte do dia-a-dia das empresas, ser normal culturalmente oferecer feedback ÚTEIS.  “Todos nós temos o direito de receber feedback úteis sobre o nosso resultado, e o quanto antes melhor!” O feedback tem como objetivo simplesmente ajudar a melhorar a sua forma de atuação no trabalho, seu desempenho. Para isso, deve-se evitar os feedbacks bajuladores, sem pé e cabeça, agressivos. Com isso, sigo a mesma linha do Jurgen Appelo:

Acredito que a primeira coisa que devemos aprender  é como oferece feedback escrito para nossos colegas de forma simples, honesta e amigável. (Tradução Livre)

No livro #Workout: Games, Tools & Practices to Engage People, Improve Work, and Delight Clients de Jurgen Appelo há o exercício chamado Feedback Wrap, o qual descreve um roteiro de como escrever emails de feedback, que, com prática, pode-se levar 15 minutos para redigir confesso que para o meu primeiro demorei quase 1 hora. Vamos conhecer mais sobre o Feedback Wrap:

Passo 1:

Descrever seu contexto

Resumidamente escrever sobre onde você está, seu contexto mental, seu “estado de espírito”, uma expectativa sendo uma maneira de suavizar a conversa inicialmente. Isso ajuda a expor sinceridade, honestidade para o restante do conteúdo do e-mail.

“Bom dia, Diogo,

Estou de férias, aproveitando o momento em família. Também arranjei um tempo para escrever um post para o blog. Preciso dar um feedback o quanto antes sobre último projeto que trabalhamos. Espero que não seja tarde para um feedback.”

Passo 2

Liste suas observações

Literalmente, escreva itens de fatos observados por você, como diz uma colega de blog, contra fatos não há argumentos. A maneira a ser escrita deve se educada e honesta, lembre-se você está escrevendo um e-mail, não tem a linguagem corporal a seu favor.

– As suas piadas são sempre bem-vindas nas reuniões.
– A última reunião que tivemos do projeto, percebi que você estava desconfortável com o assunto abordado.
– Seu comprometimento com a qualidade do código-fonte.”

Passo 3

Expresse suas emoções

Identifique os itens observados com alguma emoção, emoticon ou descrição. Isso ajuda a conectar com a pessoa, assim prevenindo ou resolvendo conflitos:

” – As suas piadas são sempre bem-vindas nas reuniões. 🙂
– A última reunião que tivemos do projeto, percebi que você estava desconfortável com o assunto abordado. (desconfortável )
– Seu comprometimento com a qualidade do código-fonte estimulou o time em manter o padrão do início ao fim. (agradecida)”

Passo 4

Ordene por valor

Organize os itens observados conforme os valores de importância que você encara o trabalho da pessoa, isso servirá para alinhar expectativas entre ambos e criar o clima de confiança.

– Seu comprometimento com a qualidade do código-fonte estimulou o time em manter o padrão do início ao fim. (agradecida)
– A última reunião que tivemos do projeto, percebi que você estava desconfortável com o assunto X abordado. (desconfortável)
– As suas piadas são sempre bem-vindas nas reuniões. 🙂

Passo 5

Termine com sugestões

Para concluir o e-mail, que tal recomendações ou incentivos úteis para o colega. Ele pode aceitar ou não, lembre-se, sugestões são somente sugestões.

“Sugiro que mantenha esta postura de qualidade, todos saímos ganhando com isso.
Quando não estiver confortável com algum assunto, por favor, expresse este desconforto de forma particular ou para o time, estamos disposto a escutar sua opinião.”

Parece até simples vendo os passos, mas requer um pouco de prática, benevolência em escrever de maneira clara, educada, honesta e desambigua. Este formato não anula o feedback presencial o qual eu prefiro, é uma alternativa estruturada e eficaz para construir um ambiente de confiança para que as próprias pessoas procurem e resolvam as questões de desempenho. Um coisa legal que percebi é que este formato também serve para a vida pessoal.

Aqui o Rafael Queiroz da Catho fala sobre sua experiência com Feedback Wrap e outros exercícios práticos do livro #Workout: Games, Tools & Practices to Engage People, Improve Work, and Delight Clients.

No canal do YouTube do Management 3.0 você pode conhecer sobre o tema e ter mais um exemplo do Feedback Wraps direto do Jurgen Appelo:

Vamos começar o ano com feedback em dias?!

Abraço.

 

Você sabia que você pode dar o seu feedback para o Agile.Pub pelos comentário do blog ou no nosso Trello compartilhado.
Showing 4 comments
  • Camila
    Responder

    Oi Jana, que texto legal.
    Acabei de retornar do almoço e vi o link pra cá compartilhado no Facebook.
    Concordo plenamente com o trecho onde você fala sobre benevolência. Ter empatia, agir com o outro como eu gostaria que ele agisse comigo sempre facilita.
    Um abraço e parabéns pelo blog!

    • Jana Pereira
      Responder

      Obrigada por compartilhar suas palavras. Acredito muito no processo de empatia. Rodrigo Toledo da K21 em seus treinamentos sempre recomendar que nós, que trabalhamos com software (ou não), deveríamos fazer aula de teatro para exatamente trabalhar o lado da empatia. E eu concordo plenamente.

  • Luiz
    Responder

    Fantástico, eu sempre assumi que a melhor forma de manter um time motivado e eficiente a longo prazo é praticar o que chamo de “liberdade de opiniões” e isso inclui, claro, uma boa política de feedbacks. E não é só isso, é também encorajar as pessoas a falarem o que pensam, sem medo de serem taxadas ou de serem retaliadas (isso ocorre muito em empresas verticais, onde sua opinião é ‘medida’ de rebeldia, etc.).

    • Jana Pereira
      Responder

      Boa colocação, Luiz. Quando há uma boa comunicação, de forma transparente, a motivação do time se torna evidente e permitindo a melhoria contínua de todos. Obrigada pelo participação.

Leave a Comment